30.11.16

eu sou problema meu

Acordei naquele dia e não me vi. Procurei embaixo da cama, dentro do armário, na bagunça da escrivaninha. Chequei as gavetas, olhei nos cantos, até mesmo no bolso da calça do dia anterior eu busquei. Em algum momento entre aquelas horas em que eu dormi, eu me fui. Pra longe, pra sempre, não sei. 

Demorei tempo demais pra perceber que o que tinha ficado em mim é que era eu de verdade.

Há algum tempo já que me reconheço mutável. Que não me vejo como um pedaço de algo, uma parte única ou sendo onipresente em mim mesma. Não. Sou todos os lados, todos os buracos, tudo que eu puder ser na infinitude de meus limites. 

0  +:

Postar um comentário