12.9.14

the empty office window

Quis um dia ser leve, mas minhas mãos eram indelicadas e pesadas demais. Quis um dia ser forte, mas a pele dos meus pés era fina e se machucava por tão pouco. Quis um dia voar, mas descobri que minhas costas doíam quando curvadas ou arqueadas. Quis um dia ser feliz, mas os músculos das bochechas ficavam cansados demais depois de um dia inteiro de felicidade. Quis um dia ser diferente, mas no fim das contas, achei que não valia a pena pagar o preço pela minha diferença. Quis um dia ser suficiente, mas descobri que teria que me expandir muito para caber em tudo aquilo. Quis um dia, enfim, apenas me deixar ser o que fosse e encontrar.

Persisto.
Existe esperança de novo. 

2  +:

Milla Pupo disse...

Sempre existe.

Tati Ferrari disse...

A esperança é o querer.
E o que mais esteve presente no seu texto foi o querer.

Novembro Inconstante

Postar um comentário