25.4.14

this modern love breaks me

linda, linda. absolutamente linda. olhei pra ela encostada no balcão, tomando uma cerveja sozinha. terminava um copo americano em dois goles. primeiro olhei pras pernas, depois pro rosto. lindas pernas, lindo rosto. ela não se continha, gesticulava e me olhava de canto de olho. coisa nossa, bobagem. sempre nos olhávamos de canto de olho. era o nosso jeito secreto de nos desejarmos. ela fingiu que não me viu. outra bobagem. sempre fazíamos isso. dessa vez, quem não se conteve fui eu. fui lá beijar aquela bochecha vermelha. a gente ria durantes horas, ela olhava pra mim e não sustentava meu olhar. me tocava no braço, queria me abraçar e eu sabia. as noites eram sempre quentes e ela sempre me deixava tonto.

não conseguia controlar meus vícios perto dela. ela parecia conhecer cada uma de minhas falhas e fragilidades melhor do que eu mesmo conheceria um dia. cada novo dia era um sufoco. estar perto dela era arrebatador. em todos os sentidos. trazia euforia e dor.

mas gostoso era ver o mundo através dos olhos dela. percebi quando eles se encheram de água ao encarar a rua e as luzes. pureza. tudo que eu sentia nela era branco, como pó. menina frágil, que sabia ser uma fortaleza. menina ambígua, que só fazia confundir.


1  +:

Flá Costa * disse...

você sabe que de alguma forma, você diz palavras ou situações que vivo ou sinto, mas que jamais descreveria tão bem. como sempre, você tem o dom de dizer em poucas linhas o que poucos conseguiriam com muitas.
adoro o jeito como você escreve e devaneia - ou registra os acontecimentos.

tudo lindo.

Postar um comentário