22.6.11

o vão

e todos os prédios, altos, tão altos, acima de nós
não vi, não sei, não fui
sorri com facilidade, pertenci àquele momento

a época feliz, o passeio das pessoas ao nosso redor
despretensão, a noite em alguns degraus
piadas, conversas, histórias, memórias
a foto escura, guardada no fundo de algum lugar

nunca mais esqueci aquelas luzes
a alegria das crianças, as casas antigas
a simplicidade daquele instante único

e você, fé e esperança
estrelas nos olhos, o corpo quente
gentilezas com gosto de afeto

e a vida que passa, e fere
e dói
e se renova

e o que fica...

0  +:

Postar um comentário