29.8.10

um poema

Confissão

"[...] não é minha morte que me
preocupa, é minha mulher
deixada sozinha com este monte
de coisa
nenhuma.

no entanto,
eu quero que ela
saiba
que dormir
todas as noites
a seu lado

e mesmo as
discussões mais banais
eram coisas
realmente esplêndidas

e as palavras
difíceis
que sempre tive medo de
dizer
podem agora
ser ditas:

eu
te amo."

1  +:

Nane disse...

é lindo e triste... como só na saudade podemos encontrar tanta beleza na tristeza de não mais poder ter!

Postar um comentário