17.3.10

você sabe quem eu sou mas não conhece a metade

no começo, esse era um blog secreto. e ele foi, por algum tempo. até que, sem querer, um dia meu namorado o encontrou.

achei meio chato. queria escrever tudo que me viesse à cabeça, usar esse espaço pra poder desabafar. como eu faria com um psicólogo, por exemplo. não me importava que pessoas desconhecidas o lessem, mas meu namorado não. principalmente ele, na verdade, já que praticamente tudo que eu tenho a falar, pensar ou escrever é sobre ele.

acabei desencanando um pouco daqui, deixei largado por um tempo, me broxou. até tentei forçar a barra e escrever alguma coisa, mas não saía nada que prestasse. mas aí, sei lá, um belo dia me fez falta. assim, escrever estava me fazendo uma falta absurda já há algum tempo, e quando eu havia retomado isso, aconteceu dele descobrir o blog. mas taquei o foda-se e resolvi continuar a escrever tudo pelo que eu passava. só que é aquela coisa: a gente só escreve quando tá mal, né? porque afinal, citando clarice lispector, "não tenho tempo para mais nada, ser feliz me consome muito".

posso dizer que é bem verdade isso. a facilidade para deixar os sentimentos fluírem quando se está em um mau momento é enorme. e eu, comum que sou, não poderia fugir dessa regra.

de qualquer maneira, só estou postando isso pra falar que eu vou continuar a escrever, independente de quantos mais conhecidos aparecerem por aqui (agora tenho o link do blog até no perfil do orkut e do twitter). não tenho o que esconder de ninguém, portanto, sintam-se livres para ler sobre a minha vida.

não que ela seja interessante de qualquer maneira, mas enfim.

1  +:

Madame Ç disse...

eu também escrevo quando estou feliz. mas meus melhores textos, os mais afiados, dependem de raiva para serem escritos.

=)

bjo.

Postar um comentário